CONCEITOS

Desde a sua fonte natural até à sua utilização, a energia passa por diversas formas:

Energia Primária - encontra-se disponível na natureza, podendo ter origem em fontes renováveis, como o sol ou o vento, ou fósseis, como o gás natural ou o petróleo;

Energia Final – que é disponibilizada aos utilizadores, como seja, o sol, a biomassa, a electricidade e os combustíveis;

Energia Útil - aquela que efectivamente é utilizada para satisfazer necessidades, sejam elas de calor, climatização, iluminação, mobilidade, produção, etc...

Na natureza encontramos dois tipos de fontes de energia:

Renováveis

A sua utilização não compromete as gerações futuras uma vez que existem na natureza, são capazes de se regenerar e, portanto, são virtualmente inesgotáveis e não poluentes, traduzindo-se num uso racional e inteligente dos recursos naturais. As fontes são o sol, a água, o vento, a biomassa e a geotermia (calor da terra). Comummente são referenciadas não as fontes, mas as energias que lhes estão associadas:

Solar - a radiação solar poderá ser considerada a fonte principal de energia uma vez que dela dependem todas as outras. É uma fonte de iluminação natural; de calor, através de colectores solares térmicos para o aquecimento de água sanitária; de electricidade, por intermédio de painéis fotovoltaicos, possibilitando o fornecimento desta de uma forma descentralizada ou em locais remotos;
Hídrica - a deslocação da água permite produzir electricidade, quer seja em barragens de grande porte ou em mini-hídricas, ou através das ondas e das marés; é a forma de produção renovável mais tradicional em Portugal, no entanto, apenas garante cerca de 13,7% do mix eléctrico;
Eólica - a energia cinética contida numa massa de ar em movimento (vento) pode ser convertida em energia eléctrica por intermédio de aerogeradores (turbina eólica);
Biomassa - a energia contida nos resíduos da floresta, das indústrias agro-pecuária e alimentar, do tratamento de efluentes, entre outros. Pode ser transformada em biocombustível usado nos transportes ou queimada para a produção de calor e electricidade;
Geotérmica – a energia (calor) proveniente do interior da Terra. É muito explorada em zonas de actividade vulcânica para fins de aquecimento (climatização de edifícios ou fins industriais) ou para geração de electricidade.

Não Renováveis

Existem na natureza, são finitas, ou seja, não podem ser regeneradas ou reutilizadas, numa escala temporal que possa sustentar a sua taxa de consumo. A sua conversão para formas de energia finais implica diversos impactes ambientais pela emissão de GEE:

Carvão - é extraído das minas e é o mais barato e utilizado dos combustíveis não-renováveis. É o que se estima ter maiores reservas e o que acarreta maiores impactes em termos ambientais. É utilizado, entre outros, em centrais térmicas para produção de electricidade;
Petróleo - resulta da decomposição de matéria orgânica ao longo de milhões de anos e está contido em jazidas, mais conhecidas por poços de petróleo. A sua extracção e refinação originam diversos combustíveis: gasóleos, gasolinas, gases propano e butano entre outros. São usados em centrais térmicas para produção de electricidade, mas também directamente para climatização, mobilidade, etc.;
Gás Natural – encontra-se no subsolo, na maioria das vezes associado a jazidas de petróleo e resulta da degradação de matéria orgânica soterrada a grandes profundidades. As suas características fazem dele uma fonte de energia menos poluente do que o carvão ou o petróleo. É utilizado para a produção de electricidade nas centrais térmicas e directamente como combustível, tanto na indústria como em nossas casas.
Urânio ou outros elementos radiactivos - a energia concentrada no núcleo do átomo e que mantém os protões e os neutrões agregados é libertada quando se dá a fissão do núcleo de elementos radioactivos, como por exemplo, o urânio. É uma fonte finita de energia que é utilizada em centrais nucleares para produção de electricidade, acarreta graves riscos de radioactividade.

A utilização de fontes fósseis para a satisfação das nossas necessidades compromete a sustentabilidade do nosso planeta, pelo que na fase de transição para uma utilização mais generalizada de fontes de energia renováveis, devemos dar prioridade a fontes fósseis menos poluentes como, por exemplo, o gás natural. Actualmente, em Portugal, em termos energéticos, a electricidade é o vector responsável por mais emissões de CO2 (0,5 kg) por cada kWh utilizado. Com menos 60% desse impacte está o gás natural, com um factor de 0,23 kg de CO2 por kWh.

AdEPorto © 2013 Agência de Energia do Porto Produced by 4Best RSS