NOTÍCIA
Qualidade do Ar na Europa


A má qualidade do ar é causa de morte prematura de mais de 400.000 cidadãos da União Europeia (UE) por ano, alerta o último relatório da Agência Europeia do Ambiente (EEA) divulgado hoje.

O documento “A qualidade do ar na Europa - Relatório de 2017” indica que a maior parte das pessoas que vivem nas cidades europeias está exposta a má qualidade do ar. O transporte rodoviário, a agricultura, a produção de energia, as indústrias e as famílias constituem os maiores emissores de poluentes.

Os resultados do relatório assentam em dados oficiais de 2015 de mais de 2.500 estações de monitorização, indicando que houve uma ligeira melhoria da qualidade do ar resultado das políticas adoptadas pelos Estados e da introdução de novas tecnologias. De todo o modo, as altas concentrações de poluição atmosférica continuam a ter um impacto significativo na saúde dos europeus, como poluentes como as partículas em suspensão, o dióxido de azoto ou ozono a serem os mais preocupantes.

A má qualidade do ar tem também impactos económicos significativos, aumentando os custos na área da saúde, reduzindo a produtividade dos trabalhadores e danificando os solos, as culturas, as florestas e os cursos de água.

É possível melhorar a qualidade do ar com políticas ousadas e investimentos inteligentes em transportes não poluentes e energia e agricultura mais limpas.

De acordo com o relatório, 7% da população urbana da UE foi, em 2015, exposta a níveis de partículas poluentes em suspensão acima do valor máximo. Se forem tidas em conta diretrizes mais restritivas da Organização Mundial de Saúde (OMS) foram expostos 82% dos habitantes das cidades.

Mais informação poderá ser encontrada aqui.


2017-10-11

AdEPorto © 2013 Agência de Energia do Porto Produced by 4Best RSS